Combate à sonegação fiscal: força-tarefa realiza interrogatórios via videoconferência

Redatora: Maiama Cardoso MTb/BA -2335
 
Três interrogatórios fundamentais às investigações relacionadas à prática de crimes de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, que causaram um prejuízo de mais de R$ 3 milhões ao fisco baiano, foram realizados pela Força-Tarefa de Combate à Sonegação Fiscal, no dia 12 de agosto de 2020. Essa foi a primeira vez que a equipe realizou interrogatórios por meio de videoconferência. Os interrogatórios tiveram a participação dos promotores de Justiça Vanezza Bastos Rossi e Hugo Casciano Sant’Anna, da delegada de Polícia Nayara Graciela Sales Brito, da inspetora da Inspetoria de Investigação e Pesquisa Fazendária (Infip/Sefaz) Sheilla Meirelles e do procurador do Estado Leoncio Dacal.
 

Segundo o promotor de Justiça Hugo Casciano, os interrogatórios fazem parte do inquérito policial instaurado pelo Núcleo Fiscal da Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap) e acompanhado pela Promotoria Regional de Combate à Sonegação Fiscal de Camaçari. A investigação conjunta apura a prática dos crimes de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro na administração de empresas do ramo de Manutenção e Reparação de Máquinas e Equipamentos para uso Industrial, Serviços de Usinagem, Solda e Fabricação de Obras de Caldeiraria, situadas no município de Camaçari.

A Força-Tarefa de Combate à Sonegação Fiscal é uma iniciativa que integra o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira), colegiado que reúne o Ministério Público Estadual, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE), o Tribunal de Justiça do Estado e as secretarias estaduais da Fazenda (Sefaz), de Administração (Sead) e da Segurança Pública (SSP).